AMD pode estar arrependida de ter demitido Dirk Meyer

Já se passaram seis meses que o conselho de administração da AMD demitiu o engenheiro Dirk Meyer do posto de principal executivo da empresa, e até agora não foi encontrado um substituto. As razões apontadas para a demissão de Meyer foram que conselho não concordava com a linha estratégica de Meyer para o segmento de tablets e celulares, que considerava mais um modismo da Apple que uma nova tendência de mercado.


O problema todo reside no fato de que a AMD está indo muito bem no momento, não em decorrência do que seus executivos têm feito nos últimos seis meses, mas, sobretudo em função do que foi feito por Dirk Meyer antes dele deixar a empresa.

A AMD introduziu duas novas plataformas de processadores para PC no primeiro semestre do ano, Brazos e Llano, e ambos têm sido bem recebido pelos fabricantes de PC, o que está levando alguns analistas a projetar uma elevação da participação de mercado da AMD para algo em torno de 25% do mercado global ao longo dos próximos trimestres.

Meyer acreditava que a AMD deveria ter como objetivo prioritário encarar a Intel no segmento de processadores para PC e ignorar o mercado de tablets e smartphones. O mercado começa a dar sinais de que ele estava certo. Com exceção da Apple, todas as demais empresas que investiram enormes quantias de dinheiro no segmento de tablets estão tendo prejuízos nesse mercado.

O que se observa é que a estratégia empresarial desenhada e implementada Meyer e sua equipe está  começando a dar os seus primeiros resultados. Entretanto, o valor das ações da AMD continua muito baixo, em torno de US$7 dólares, sendo que este desempenho de mercado é resultado, sobretudo, da indefinição na escolha do novo executivo chefe da empresa.

Comentários