Especificações e cronograma dos Intel Core Sandy Bridge para notebooks revelados

A Intel liberou as especificações das versões mobile de sua nova linha de processadores Core i7 e Core i5 baseados na arquitetura Sandy-Bridge. Os modelos móveis são os seguintes:


Em termos de nomenclatura, as CPUs para notebooks ficaram um pouco confusas. Existem modelos Core i7 com 4 núcleos e 2 núcleos, sendo que a diferenciação entre eles fica por conta do sufixo "Q" no final indicado se tratar de um Quad-Core.

As maiores diferenças em relação às versões desktop são as frequencias base  - compreensivelmente mais baixas - e o fato de todas as CPU virem com o Hyper Threading habilitado. O suporte de memória vai até DDR3-1600, enquanto que os modelos destinados a desktops suportam memórias DDR3-1333.

GPU com 12 EU (Execution Units)

No que respeita o sub-sistema de processamento gráfico, todos os processadores Intel Sandy Bridge direcionados ao mercado de notebooks disporão de dois processadores gráficos integrados (GPU), totalizado (12 EUs - Execution Units), porém operando em frequencias base menores  - 650Mhz nos modelos mobile, contra 850Mhz nas versões de desktop. Entretanto, o modo Turbo pode levar essas GPU a 1300Mhz.

Segundo o AnandTech, apenas algumas versões do Sandy Bridge para desktops disporão de 2 GPUs e 12 EUs. Ao que parece, os modelos de desktop com sufixo "K" disporão de 2 GPUs com 12 EUs. 

O AnandTech afirmou que o preview do Sandy Bridge recentemente publicado ocorreu com uma unidade com 6 EUs. Entretanto, está ainda para ser explicado como é que um Core i5 2400 com 6 EUs tem um TDP de 95W, e o i7 2600K, com o mesmo TDP, apresenta os mesmos 95W, dobrando os recursos internos.

Atualização: em recente atualização do preview, o AnandTech mudou de opinião e, agora, acredita que a CPU por eles testada se trata de uma versão com 2 GPUs e 12 EUs, veja aqui.

Como nós sabemos, a medida de TDP da Intel é feita submetendo o processador a um conjunto de benchmarks e, em cada um deles, mede-se o consumo de energia. A média aritmética das medidas de consumo de energia é o valor de TDP.

Portanto, sendo o TDP uma medida objetiva de consumo de energia de processadores, é evidente que o dobro de recursos internos, consumirá mais, e, portanto, apresentará um TDP maior.

Fonte: AnandTech

Comentários