Resultados financeiros da nVIDIA não agradam e ações desabam 11,54%

A nVIDIA apresentou ontem seus resultados financeiros, e, como mostrado aqui, o lucro foi de US$137 milhões de dólares. Entretanto, o mercado financeiro não gostou dos números e puniu a empresa com uma queda de suas ações em 11,54% no pregão de ontem.

As concorrentes da nVIDIA também sofreram baixas em seus papéis: A AMD caiu 6,7% e a Intel viu seus papéis sendo negociados a preços 2,7% menores em relação ao fechamento de quinta-feira, como reflexo da queda de 1,5% do Dow Jones em meio a preocupações com a saúde fiscal dos países europeus.

O fato, porém, é que a queda dos papéis da nVIDIA foi bem maior que o de suas concorrentes, apesar de os resultados apresentados terem superado a expectativa dos investidores. As projeções do mercado para a receitas da nVIDIA para o Q2/2010 estão sendo continuamente revisadas para baixo.

O que preocupa os investidores é a percepção generalizada de que os novos produtos DX11 da nVIDIA não conseguem competir com a AMD nem em preço e tampouco em performance. Para piorar as coisas, a nVIDIA dispõem de apenas dois produtos DX11 no mercado, o que contrasta com a extensa e ampla gama de produtos da AMD.

Esse contexto mostra que a nVIDIA terá dificuldades para ampliar sua receita global nos próximos trimestres e a venda dos produtos será menor do que a necessária. O que tem segurado a lucratividade da nVIDIA é a divisão de placas gráficas profissionais NVIDIA Quadro, os quais apresentam elevados ASP (Preço Médios de Venda). Entretanto, esse segmento de mercado também está sob intenso ataque da AMD, que lançou recentemente suas novas placas gráficas para o segmento profissional ATI Fire Pro.

Outra fonte de preocupações dos investidores foi com relação aos estoques da nVIDIA que subiram 17% no último trimestre, o que indica que a nVIDIA pode estar tendo problemas de colocação de alguns de seus produtos no mercado.

Tegra

Os executivos da nVIDIA mostraram-se confiantes com as possibilidades dos novos produtos Tegra e Fermi, além de comemorarem o lançamento Adobe Creative Suite 5 compatível com o nVIDIA CUDA. Além disso, houve um alívio no mercado com a declaração de que "centenas de milhares de chips Fermi estão sendo enviados aos OEM", e que os Yields do Fermi estão, neste momento, acima das expectativas da empresa.

Além disso, há muitas esperanças com o nVIDIA Tegra 2. A empresa está tentando colocar esse chip no segmento de Tablets, e, caso consiga, o Tegra pode se tornar uma fonte importante de lucratividade para a empresa.

As expectativas dos investidores para os próximos trimestres apontam que a lucratividade da NVIDIA continuará a declinar, assim como sua participação de mercado, pois a AMD deve continuar a ampliar sua presença no mercado de GPU, tanto no segmento de desktops quanto no de notebooks. 

Essa situação indica que as receitas, os lucros e a participação de mercado da nVIDIA estão em rota declinante, situação que não será revertida enquanto a NVIDIA não conseguir colocar produtos acessíveis no mercado em condições de competir em preço e performance com os modelos AMD ATI Radeon.

Fonte: BSN

Comentários