Intel supera as mais otimistas expectativas e reporta lucro de US$ 2.4 bilhões de dólares no primeiro trimeste

A Intel anunciou ontem seu relatório sobre o desempenho financeiro no primeiro trimestre de 2010, encerrado, em termos fiscais, no dia 27 de março de 2010.

O mercado financeiro esperava receitas globais da Intel da ordem de US$9.8 bilhões de dólares. A Intel superou esse número, e de longe: US$ 10.3 bilhões de dólares, nada menos que US$ 500 milhões de dólares superior à mais otimista das projeções.

O resultado para os acionistas foi excepcional: a expectativa era de ganhos de US$ 0,38 centavos de dólar por ação. Mas a Intel novamente surpreendeu positivamente, mostrando ganhos de US$ 0,43 centavos de dólar por ação.


Na comparação com o trimestre anterior - o último trimestre de 2009 -, como era esperado, a receita da Intel reduziu-se um pouco, mas reduziu menos que o esperado: esperava-se uma queda de 7%, mas o comparativo mostra que a Intel observou uma queda de apenas 3%.

Lucro operacional dispara

Outro número que brilhou nas demonstrações financeiras da Intel foi o lucro operacional, que é um indicador da margem de lucro bruta da empresa: 64%. No primeiro trimestre de 2010 a Intel conseguiu o feito de elevar seu lucro operacional em 38% frente ao resultado observado no último trimestre de 2010, atingindo o valor de absoluto de US$ 3,4 bilhões de dólares.

Esse número é resultado direto das receitas da Intel decorrentes da fortíssima demanda por processadores móveis, e também pelo fato de a Intel ter conseguido elevar o seu ASP (Preço médio de venda). Isso significa que a Intel, em média, vendeu mais processadores, e mais caros.

A comparação com os números do primeiro trimestre de 2009 são ainda mais impressionantes. O resultado do primeiro trimestre de 2010 da Intel é 44% maior que o obtido no primeiro trimeste de 2009 - período ainda afetado pela crise financeira mundial de 2008. O Lucro operacional cresceu estonteantes 433% e o lucro líquido 288%.

Conclusão

Esses números apresentados pela Intel são absolutamente gigantescos, e evidenciam a violência com a qual a crise econômica mundial de 2008-2009 afetou o resultado da empresa no começo de 2009, que, apesar disso, manteve-se no lucro. Com o fim da crise, os resultados dispararam.

Comentários