Fusion Render Cloud: os supercomputadores para gaming on demand

Algumas empresas nos Estados Unidos estão desenvolvendo sistemas de gaming-on-demand, uma plataforma que permite jogar qualquer título através da Internet.

O game, nesse caso, não roda na máquina do usuário, mas nos supercomputadores dessas empresas, dispensando, assim, os usuários de investirem em hardware avançado para acompanhar o desenvolvimento dos jogos.

A mais famosa dessas empresas é a OnLive, que já lançou seu sistema. A rival (nos Estados Unidos sempre tem uma "empresa rival") é a Otoy, que promete lançar seu sistema no próximo trimestre.

A Otoy está construindo um cluster de supercomputadores para dar conta de processar os jogos de milhares de usuários. Esses supercomputadores, que estão sendo chamados de "Fusion Render Cloud", serão construídos pela Supermicro e serão baseados nos Processadores AMD Opteron Magny-Cours associados à GPU´s Cypress.

Os assinantes desse serviço, portanto, não precisarão dispor de uma máquina de alta performance para rodar qualquer game, tendo em vista que todo o processamento do jogo será feito na Fusion Render Cloud.

O cluster da Otoy disporá de 10 supercomputadores, que são capazes de suportar até um milhão de usuários, e esse é um dos motivos que a AMD vê o Fusion Render Cloud como o próximo passo evolutivo na computação em nuvem.

O hardware da Fusion Render Cloud é impressionante: 128 servidores, com um total de 250 processadores AMD "Mangy Cours e 500 chips gráficos baseados em modelos da AMD Cypress. Cada um destes chips gráficos pode processar 2,7 teraflops, ou 2,7 trilhões de operações matemáticas por segundo. Cada supercomputador poderia servir 3.000 usuários em alta definição, ou até 12.000 usuários definição padrão.

O sistema funciona com Mac, PC, Linux, Android, Windows Mobile, o iPhone, e iPad, o que significa que será possível rodar o Crysis até no iPhone.

Comentários