Especulando sobre a nova microarquitetura Sandy Bridge da Intel

O ano que vem nós veremos a chegada ao mercado de duas importantes novidades no mundo dos processadore x86: a nova microarquitetura Bulldozer da AMD e, no caso da Intel, a sucessora da microarquitetura Nahalem, que atende pelo codinome Sandy Bridge. Procurando em alguns blogs e sites, é possível obter algumas especulações sobre a nova microarquitetura da Intel Sandy Bridge. Vamos a algumas desssas especulações (Importante apontar que as informações aqui postadas são apenas especulativas, e não estão baseadas em informações oficiais da Intel).

Comprimento e largura do PipeLine

Sandy Bridge deve apresentar a mesma largura (4 way decode) e o mesmo comprimento (16 estágios) do Nahalem. Entretanto, devem ocorrer aprimoramentos na latência do cache L1, o que pode propiciar melhora na performance do HT (Hyper Threading). Outro aspecto é que o tamanho do cache L2 do Sandy Bridge deve ser elevado para 512KB por núcleo.
Instruções

Sandy Bridge deve vir basicamente com os mesmos conjuntos de instruções do Nahalem, com a adição das novas instruções AVX às unidades SSE. 

Frequencias de operação

Espera-se que as versões top de linha operem em 4.0Ghz, mantendo os atuais níveis de dissipação térmica do Nahalem - um TDP de 150W para uma frequencia de 4.0Ghz. Já os modelos dedicados aos servidores devem apresentar frequencias máximas de 3.6Ghz, com respeito à dissipação térmica.

Cache, Latências e Banda de Memória

A hierarquia do sistema de cache deve ser basicamente a mesma do Nahalem, com os L1 privados de cada núcleo, L2 inclusivos e um L3 compartilhado. Haveria um cache L2 para núcleo SMT, de 512KB, com melhoras nos níveis de latência.

Já o cache L3 teria um total de 12MB divididos em quatro bancos de 3MB cada um no uncore, apresentando uma latência em torno de 50 ciclos.

Turbo Bost e HT (Hyper Threading)

Em termos de funcionalidades, o Sandy Bridge deve continuar a apresentar as já conhecidas do Nahalem: Turbo Bost e o Hyper Threading.

Tamanho

No processo de gravação de 32nm, uma CPU baseada no Sandy Bridge deve apresentar uma área de menor que 250mm2, o que deve permitir uma guerra de preços agressiva com a AMD.

Preços

Devem ser mantida a mesma estrutura de preços do Nahalem, ou seja, US$ 1.000,00 para os modelos mais rápidos. Entretanto, isso vai depender do tamanho e da performance do Bulldozer.

Performance

Operando na mesma frequencia do Nahalem, um processador derivado da microarquitetura Sandy Bridge deve se mostrar de 30 a 35% mais rápido que seu predecessor, sendo que com o HyperThreading ativado essa superioridade deve ficar acima de 40%.

Quantidade de núcleos

Segundo o Fudzilla, as CPU´s baseadas no Sandy Bridge devem ser de dois e quatro núcleos e que, até o presente momento, não existe previsão de uma CPU de 6 núcleos nessa arquitetura.

GPU Integrada

Outra característica inovadora da microarq Sandy Bridge é que haverá uma GPU integrada à CPU no mesmo chip, uma evolução em relação ao Clarkdale, no qual a GPU está presente apenas no mesmo invólucro, mantendo dois chips separados. Importante apontar que o conceito Fusion da AMD é exatamente este, ou seja, uma CPU e uma GPU no mesmo chip.

Um aspecto interessante é que a GPU que será integrada deve ser baseada nas que seriam derivadas do finando projeto Larabee, que foi cancelado pela Intel no ano passado.

Comentários